O Filho Eterno

Adaptação do premiado livro de Cristovão Tezza, o monólogo “O Filho Eterno” foi estrelado por Charles Fricks e teve direção de Daniel Herz. Muito mais do que a relação de um pai que tem de lidar com o filho, que nasce inesperadamente com síndrome de down, a história narrou as dificuldades da paternidade. A peça é mais um sucesso da Companhia Atores de Laura e foi vencedora do Prêmio Shell de Teatro 2011 e prêmio APTR 2011 na categoria "Melhor Ator".